Por favor aguarde...


Caso leve mais de 30segundos recarregue a página

DR #158 – Tatenda Vale, que te vais embora!

Autores:João Mosca
A Vale Moçambique está saindo de Moçambique. Este texto tem como objectivo demonstrar que a Vale, como outras mineradoras, no lugar de serem um agente de desenvolvimento económico e social, são, na verdade, provocadoras de efeitos e externalidades negativas de dimensão que superam os possíveis benefícios da actividade e da actuação das empresas. São apontados aspectos de desenvolvimento económico, social e ambiental, a nível local e nacional que fundamentam o referido.

A actuação das mineradoras, incluindo e em primeiro lugar a Vale de Moçambique, acontece em contexto de Estado frágil e não transparente, e implanta-se em comunidades pouco organizadas e com limitada informação e conhecimento e, consequentemente, com limitado poder negocial e reivindicativo, facilitando que a actividade predador e maximizadora do extractivismo. O texto recomenda um conjunto de sugestões a partir das lições que se podem retirar da actuação dessas multinacionais. A expressão “maldição dos recursos” está-se a verificar, aspecto alertado pela sociedade civil a nível local e central. Por isso, Tatenda Vale, que te vais embora!
Data :Março de 2022

Autor

Mês

Março

Ano

2022