OR #125 – Terra da abundância, terra da miséria: usurpação sinergística de recursos em Massingir

OR #125 – Terra da abundância, terra da miséria: usurpação sinergística de recursos em Massingir


Descrição

  • 7 Junho 2022

Massingir é uma área com elevado potencial no que diz respeito à terra, fontes de água e à biodiversidade, com grande possibilidade de responder às actuais crises globais. Recentemente, hospedou uma série de projectos incluindo de biocombustível (etanol), reabilitação da barragem (para produção de energia e irrigação) e a reconstituição de uma área de conservação/turismo (o Parque Nacional do Limpopo); todos eles respondendo a preocupações ambientais globais e, ao mesmo tempo, a objectivos económicos. Deste modo, a crise ambiental não deve ser encarada como um fenómeno isolado nas dinâmicas actuais de acumulação de capital. Pelo contrário, uma característica muito distinta das dinâmicas de procura de terras na actualidade é a convergência de múltiplas crises, incluindo a alimentar, energética, ambiental e financeira. O caso de Massingir ilustra como a usurpação de recursos pode, na base de criação de sinergias, responder à convergência de múltiplas crises. Ao analisar as dinâmicas de mudança no uso, alocação e posse de terra, é possível compreender como os meios de subsistência rurais são moldados e afectados. Os riscos relacionados com a segurança e a soberania alimentares, a perda de controlo do acesso aos recursos, a redução consistente do conjunto de estratégias de subsistência e os conflitos intercomunitários sobre recursos escassos, são as principais implicações de implementação de políticas “inteligentes ao clima”. Em conclusão, a implementação das políticas de mitigação e adaptação às alterações climáticas tem se tornado a nova força motriz da usurpação de recursos no contexto de “disputa de recursos”.