DR #74 – Não dê o peixe, ensine a pescar

DR #74 – Não dê o peixe, ensine a pescar


Descrição

  • 25 Outubro 2019

NÃO DÊ O PEIXE, ENSINE A PESCAR
(provérbio chinês)

Vários textos do OMR referem, de forma fundamentada, a secundarização da agricultura nas políticas públicas, o que se traduz nos volumes de recursos alocados ao sector agrário e desenvolvimento rural. O orçamento público, os investimentos públicos e privados, o crédito concedido ao sector, e em particular à produção primária (vegetal, animal e florestal), entre outros, revelam claramente que a agricultura, e em particular a produção alimentar, não são priorizadas.

Este texto tem como objectivo sugerir, aos países e organizações internacionais, algumas áreas de cooperação que contribuam para aumentar a produção alimentar. Esta é uma opção estratégica. É uma das formas de aumentar o rendimento de cerca de 70% da população reduzindo a pobreza, alargar a base social de beneficiários reduzindo as desigualdades sociais e promover um desenvolvimento mais inclusivo, diminuir as migrações para os centros urbanos e zonas de grandes projectos, fazer aumentar o custo de oportunidade do assalariamento, atenuar os factores de conflitualidade, reduzir a subnutrição e as doenças, e aumentar a resiliência às mudanças climáticas.

 

DO NOT GIVE THE FISH, TEACH HOW TO FISH

(Chinese proverb)

Several texts of the OMR refer, with evidences, to the sideline of agriculture in public policies, which translates into the volume of resources allocated to the agrarian sector and rural development. The public budget, public and private investments, credit granted to the sector, and, in particular, to primary production (plant, animal and forest), among others, clearly show that agriculture, and food production in particular, are not prioritized.

International cooperation is not free of this responsibility. This text aims to suggest to countries and international organizations some areas of cooperation that contribute to increase food production. This is a strategic option. It is one of the ways to increase the income of about 70% of the population while reducing poverty, widening the social base of beneficiaries, reducing social inequalities, and promoting more inclusive development, reducing migration to urban centers and large project areas, increase labor opportunity cost, mitigate conflict factors, reduce malnutrition and disease, and increase resilience to climate change.