DR #171 – Voltamos ou ficamos? Pobreza, tensões sociais e perspectivas de regresso das populações deslocadas (English version available)

DR #171 – Voltamos ou ficamos? Pobreza, tensões sociais e perspectivas de regresso das populações deslocadas (English version available)


Descrição

  • 19 Maio 2022

Quase dois anos após a deslocação de centenas de milhares de indivíduos para Sul da província de Cabo Delgado, persistem graves fenómenos de pobreza, falta de acesso a terrenos agrícolas, desnutrição crónica e dependência externa. A competição pelo acesso a recursos naturais (terra e lenha) aumenta a tensão entre populações locais e deslocadas, dinamizando um mercado informal de terras e a exclusão de milhares de famílias descapitalizadas. Na sequência do agravamento de crises humanitárias internacionais, o PMA enfrenta crescentes dificuldades de assistência alimentar, prevendo-se a redução drástica da ajuda nas próximas semanas. Neste cenário aumentam as expectativas de regresso das populações, ensaiando-se movimentos migratórios para áreas mais próximas dos locais de origem, sem existência de infra-estruturas ou serviços, por vezes de forma mais gradual e circular, outras vezes de forma mais definitiva. Alerta-se que o regresso das populações torná-las-á vulneráveis a ataques de insurgentes, transformando aldeias isoladas em alvos de pilhagens, reproduzindo um conflito de baixa intensidade, mas com profundos efeitos mediáticos.

 

Description:

Almost two years after the arrival of hundreds of thousands of displaced people in the South of Cabo Delgado province, there persist serious poverty phenomena, lack of access to agricultural land, chronic malnutrition and external dependence. Competition for access to natural resources (land and firewood) increases tension between local and displaced populations, boosting an informal land market and the exclusion of thousands of undercapitalized families. In the wake of the worsening international humanitarian crises, WFP is facing increasing food assistance difficulties, and aid is expected to drastically reduce in the coming weeks. In this scenario, the population’s expectations of return increase, with migratory movements being rehearsed for areas closer to the locals of origin, without the existence of infrastructure or services, sometimes in a more gradual and circular way, other times in a more definitive way. It is warned that the return of populations could make them vulnerable to attacks by insurgents, transforming isolated villages into looting targets, reproducing a low-intensity conflict, but with profound media effects.