E se em vez de comunicados à nação, o Presidente da República coordenasse debates alargados sobre o conflito em Cabo Delgado?