Movimentos migratórios para áreas de concentração de grandes projectos

Movimentos migratórios para áreas de concentração de grandes projectos


Descrição

  • 16 Fevereiro 2018

Se a partir da década de 1990, a capital de Moçambique concentrou em si um forte investimento, mais recentemente, outras cidades conheceram uma grande euforia económica, particularmente em torno de grandes projectos extractivos. A exploração do carvão na província de Tete, a reabilitação do corredor de Nacala e as actividades de prospecção de hidrocarbonetos na bacia do Rovuma foram geradores de novos el dorados, estimulando expectativas junto das populações e incentivando movimentos migratórios para cidades como Tete, Nacala-Porto ou Pemba. O rápido crescimento populacional traduziu-se numa saturação de infra-estruturas urbanas, numa pressão inflacionista sobre os preços e, face à incapacidade de absorção do mercado de emprego, assistiu-se a uma informalização da economia urbana.

Neste contexto, esta obra apresenta quatro grandes objectivos. Em primeiro lugar, compreender os factores motivadores dos movimentos migratórios rural-urbanos, entendendo-os como o resultado de assimetrias socio-espaciais, distinguindo factores de afastamento do meio rural, de factores de atracção do meio urbano. Em segundo lugar, num cenário de forte densificação populacional, pretende-se compreender como se opera a integração socioeconómica de migrantes rurais no meio urbano. Num terceiro momento, procuram-se explicar as ligações estabelecidas pelas populações de descendência rural, uma vez nas cidades, com os seus contextos geográficos de origem. Finalmente, pretende-se conhecer as representações construídas pelas populações inquiridas sobre os seus universos rurais de origem, assim como perspectivas de regresso e de investimento no local de proveniência.