Modelos de Desenvolvimento Rural – Agro-Negócio

Esta linha de investigação pretende influenciar, analisar e monitorar a implementação de estratégias de desenvolvimento agrário e rural, particularmente no que respeita ao agro-negócio e à integração dos diferentes tipos de produtores no desenvolvimento. A linha de investigação terá como enfoques os seguintes aspectos: tecnologias adoptadas e mudanças nos sistemas de produção, acções de investigação e extensão, envolvimento e mecanismos de inclusão das comunidades, aplicação da legislação mais relevante sobre a agricultura e o desenvolvimento rural, efeitos sobre a produção, a produtividade e o rendimento dos produtores, e efeitos ambientais. Trata-se de analisar a realidade local considerando-se as múltiplas opções decorrentes de diferentes modelos de desenvolvimento rural. Através da disseminação dos resultados, procura-se contribuir para o debate acerca dos efeitos dos grandes projectos sobre as comunidades afectadas, assim como para economia.

Coordenador da linha de investigação: João Mosca

 

A linha de pesquisa conta com quatro projectos em curso, nomeadamente:

Projecto 1: A Economia Política do Corredor da Beira

O projecto de investigação é continuação de uma pesquisa sobre a Economia Política do Corredor de Nacala, realizada ao longo do ano de 2017, e incidirá desta vez sobre o corredor da Beira.

A investigação pretende analisar até que ponto a entrada de novos investimentos no Corredor da Beira, a chegada de ex-fazendeiros zimbabweanos e a existência de diversos empresários do sector da agro-indústria reconfiguraram a estrutura económica e social na região. Num segundo momento, pretende-se compreender a relação entre a estrutura económica ao longo do corredor e as dinâmicas políticas locais e nacionais.

Investigador responsável: Thomas Selemane

 

Projecto 2: Produtores emergentes no corredor da Beira

O projecto de investigação pretende compreender quais são os factores socio-políticos que explicam a emergência de médios produtores no corredor Beira (nomeadamente nos distritos de Dondo, Nhamatanda, Buzi, Gondola, Sussundenga e Manica), mas também explicar as dinâmicas das respectivas actividades. Na prossecução deste objectivo pretende-se conciliar um conjunto de metodologias quantitativas e qualitativas. Através da aplicação de 400 inquéritos por questionário pretende-se recolher informações explicativas dos processos de emergência dos produtores assim como das respectivas dinâmicas de produção. Através da realização de entrevistas semi-estruturadas e da realização de histórias de vida pretende-se compreender a complexidade do fenómeno em análise.

Investigadores responsáveis: João Feijó e Yasser Dada

 

Projecto 3: Produtoras emergentes no centro de Moçambique: histórias de sucesso.

Nas províncias de Sofala e de Manica predominam as pequenas e médias explorações agrícolas, a maior das quais chefiadas por homens. Apesar de representar a maior parte da força de trabalho na produção de bens para consumo doméstico alimentar, frequentemente a mulher não controla a comercialização dos produtos. Num contexto de elevadas taxas de analfabetismo, que afectam sobretudo as mulheres, assiste-se a uma reduzida taxa de participação das mesmas na vida política e associativa e à reprodução de mecanismos de dependência em relação aos homens. O papel da mulher está sobretudo direccionado para a produção de culturas de subsistência, cabendo-lhe também um conjunto de responsabilidades relacionadas com tarefas domésticas e com a prestação de cuidados à família. Com este projecto de investigação pretende-se realizar um conjunto de histórias de vida de agricultoras emergentes nos distritos de Manica, Gondola, Sussundenga, Nhamatanda, Buzi e Dondo, de forma a compreender a especificidade de obstáculos enfrentados pelas mulheres produtoras e formas de superação. Trata-se de compreender as estratégias utilizadas pelas produtoras emergentes e de identificar os factores que contribuíram para o seu crescimento económica.

Investigadora responsável: Aleia Rachide Agy

 

Projecto 4: Dinâmicas de produção de mandioca para a agro-indústria de cerveja

A DADTCO constituiu uma organização multinacional que opera na Nigéria, Gana e, desde 2012, em Moçambique. A empresa dedica-se ao processamento da mandioca para fabrico de cerveja, adquirindo a matéria-prima junto de pequenos agricultores. Num cenário de disseminação e multiplicação de espécies melhoradas deste tubérculo, a empresa alega que o seu cultivo possibilita a obtenção de maiores rendimentos, mas a substituição das espécies anteriores não deixa de conter um conjunto de riscos para o camponês. Ao longo da pesquisa pretende-se aferir o impacto da implementação de uma unidade de processamento de mandioca sobre a produção deste tubérculo e sobre os rendimentos das famílias de camponeses. O estudo incidirá sobre o distrito de Zavala e decorrerá ao longo do primeiro semestre de 2018.

Investigador Responsável: Momade Ibraimo